Coral São João

Coral São João

No primeiro semestre de 1977, alguns jovens, filhos de paroquianos da Igreja de São João, em São Luís, reuniram-se para executar os cânticos das missas dominicais. Assim, em 10 de abril desse ano, nascia o Coral São João, que sempre teve como líder e regente o talentoso e dinâmico Fernando Elias Mouchrek. Sob sua regência, o Coral São João tem representado dignamente o estado do Maranhão nos mais conceituados eventos brasileiros de canto coral e, com muito esforço e ousadia, o nosso Brasil, em países da Europa, América Latina e América do Norte, recebendo calorosos aplausos em reconhecimento ao seu trabalho diligente e contínuo, que visa a integração social e o intercâmbio cultural através da música. Cantando um repertório bastante diversificado e de muita qualidade, passando pelo erudito, das óperas aos musicais e à música folclórica dos diversos países e regiões, o grupo procura agregar ao canto coral a poesia e a dança, sempre a serviço do belo, proporcionando aos expectadores a arte do bem cantar. Ao completar 40 anos de existência, o Coral São João tem muito a comemorar na arte do Canto Coral, pois, dentre seus muitos feitos contabiliza onze shows: “Canção do Amor Demais”, “Oração de Natal”, “Canto Negro”, “Abre Alas”, “Vozes Nordestinas”, “Kizomba”, “Canta Brasil”, “Razamérica”, “Cantando o Amor”, com a gravação ao vivo de seu 1º CD, “Broadway”, com a gravação do segundo CD e Disco Dance Show. Esses espetáculos tiveram em sua montagem e apresentação figurinos, iluminação, sonorização, bem como a participação de outros artistas, como solistas, dançarinos, etc. Participante de todas as edições do FEMACO – Festival Maranhense de Coros – e de vários outros festivais estaduais, nacionais e internacionais, tem em sua sede vários troféus conquistados nesses eventos. Prêmios que representam a consagração de um árduo e ininterrupto trabalho realizado ao longo dos seus 40 anos de existência. Por dois anos consecutivos foi escolhido como um dos representantes do Brasil a fazer-se presente no Festival Internacional de Coros em Villa Carlos Paz, Córdoba, na Argentina. Em 1995, fez uma bem sucedida tournée por várias cidades da Suíça e em 1998, com a mesma hospitalidade e amabilidade recebidas em sua ida àquele país, recepcionou o coral Mon Pays de Fribourg-Suíça, em sua estadia em São Luís. Juntos, fizeram um grande concerto no Teatro Arthur Azevedo, reafirmando assim os laços de afeição entre os dois corais. Por várias vezes foi convidado a participar de espetáculos no Rio de Janeiro, como o realizado no início de 1996, com a cantora Alcione Nazareth, o show “Tempo de Guarnicê”, no Imperator. Em outubro do mesmo ano, a convite do então diretor geral do Teatro Arthur Azevedo – Fernando Bicudo – participou da montagem da Ópera-Ballet “Orfeu e Eurídice” de Christoph Willibald Glück, ocasião em que comemorou seus 20 anos juntamente com aquele teatro, que completava na época 180 anos de sua fundação. Em Londrina, Paraná, onde apresentou o show “Razamérica” no Festival Internacional de Corais daquela cidade, o qual reúne grupos de várias partes do mundo, foi escolhido e aclamado como o melhor coral do festival. Em março de 2005 fez uma tournée pela Suíça, Alemanha e França. Em 2009 participou do Festival Internacional de Corais em Verona, na Itália, na categoria Folclórica Popular, concorrendo com corais dos Estados Unidos e de outros países da Europa e América Central, indicado por um juri técnico o 2º melhor coral nesta categoria. Em 2011, o Coral São João fez outra tournêe, dessa vez indo até o Canadá para participar do “Le Mondial Choral Loto-Québec” na cidade de Laval, e durante 15 dias apresentou-se também nas cidades de Toronto, Montreal e outras províncias, percorrendo muitos quilômetros daquele imenso e maravilhoso país, e mais recentemente, em 2013, fez uma segunda turnê pelo Canadá estendendo-se também a uma turnê em Nova York. Em 2018 fez uma turnê na Europa passando pela França, Belgica e Luxemburgo, levando consigo toda nossa brasilidade. Por fim, diga-se que esse vitorioso empreendimento se deve ao esforço e empenho de todos aqueles que fazem o Coral São João, daqueles que acreditam no trabalho dos artistas anônimos que o compõem, à coragem e força de seu regente, e à comunidade ludovicense, que apoia e incentiva essa arte laboriosa e gratificante para todos os que a apreciam e acreditam na música como forma de engrandecimento social, cultural e artístico, fonte de prazer e alegria para corações e almas dos amantes do belo canto.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *